Flamengo não mostra elenco forte e acaba abrindo mão do Brasileiro

Guerrero comemorando gol com jogadores do Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
GOAL: Diferente do que se era esperado no início do ano, quando a intenção da diretoria era claramente montar um elenco forte para que o Flamengo fosse capaz de brigar por todas as competições que disputasse nesta temporada, o Rubro-Negro vem demonstrando que tem um elenco tão competitivo assim mesmo sendo uma das folhas salarias mais alta do país.

Foi assim na Copa Libertadores da América, quando a equipe perdeu o meia Diego e não tinha um substituto na posição. Na ocasião, apenas Conca, que estava se recuperando de lesão, era a alternativa mais próxima para a vaga do jogador. Com isso, Zé Ricardo precisou buscar alternativas como dar oportunidade para base ou improvisar atletas na posição.

O preço foi alto, sem vencer fora de casa, o time caiu vergonhosamente na fase de grupos do torneio e teve uma crise de identidade instalada que lhe custou um início conturbado no Brasileirão.

Depois da queda, a diretoria buscou contratações de peso como Everton Ribeiro e Diego Alves, além de nomes como Geuvânio e Rhodolfo que chegaram com status de boas contratações e salários altos.

Mas nem isso foi suficiente para que o Flamengo ficasse mais confortável com as competições em disputa. Quando o time titular perde uma peça importante, por exemplo, a dificuldade da equipe é bem grande e se torna ainda maior quando o treinador precisa escalar os reservas.

Contra o Avaí, no último final de semana pudemos ver claramente essa dificuldade que o Flamengo tem. De olho na final da Copa do Brasil,  Rueda escalou um time alternativo contra um adversário fraco dentro de casa e não conseguiu sair do empate.

O mesmo aconteceu na semifinal da Copa da Primeira Liga, quando o treinador também optou por um time alternativo ao titular. A equipe caiu nos pênaltis para o Paraná e saiu da competição.

Mas até quando mexe em poucas peças do time titular, Rueda não tem encontrado vida fácil. Contra o Botafogo, na vigésima terceira rodada, o Flamengo perdeu por 2 a 0 e durante os 90 minutos produziu muito pouco.

Vale ressaltar também que o atacante Paolo Guerrero não tem uma sombra e nem mesmo um substituto confiavél. Sem Leandro Damião, liberado pelo clube recentemente para retornar ao Internacional, Rueda foi obrigado a escalar Lucas Paquetá improvisado no primeiro jogo da final da Copa do Brasil.

Mesm sendo uma das folhas mais caras do futebol brasileiro, o Flamengo não consegue dividir o elenco e brigar firme nos campeonatos que disputa. Por isso, o Brasileirão está ficando para trás. Com 39 pontos, a equipe é apenas sétima colocada no torneio e está atrás de times que se dividiram ou ainda se dividem em outras competições até mais fortes do que as que o Flamengo vem disputando.

Mas até quando mexe em poucas peças do time titular, Rueda não tem encontrado vida fácil.

Marcadores:

Postar um comentário

[facebook]

MKRdezign

{facebook#https://www.facebook.com/oficialsouflamengo} {twitter#https://www.twitter.com/SiteFlaHoje} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/+FlamengoHoje} {youtube#https://www.youtube.com/create_channel}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget