Revoltado, Popoca desabafa e reclama de "covardia" do Flamengo

Gilmar Popoca não é mais técnico do Flamengo - Foto: GIlvan de Souza
ESPORTE INTERATIVO: Na mesma semana da demissão de Zé Ricardo, foi a vez de Gilmar Popoca, então treinador do Sub-20, ser desligado do clube. Um dia após a saída do Rubro-Negro, Popoca concedeu entrevista ao Esporte Interativo para tentar explicar o motivo da sua saída. Segundo o comandante, ele ouviu que estava fora da "metodologia do Flamengo" .

"Eu tive que evoluir em várias formas. Tive que me qualificar. Mas, do nada, as pessoas chegam e falam para você que está fora da metodologia. Fiquei impressionado que me falaram que o grupo de futebol não me via com perfil para substituir o Zé Ricardo. Nunca vi isso. Aconteceu com o Zé (assumir o profissional), mas foi uma coisa esporádica. Toda vez que havia necessidade, o Carlinhos tinha capacidade de ir lá e resolver. Perguntei para eles o seguinte: 'qual treinador na base está qualificado para ir para o profissional hoje?' Então, eu senti que foi algo direcionado. Não sei. Juro que não sei. Não creio que seja por aí não. Lamentável. Não sei se consigo achar uma explicação. Todo mundo está tentando achar uma explicação. Se eu fosse alguém que tivesse com rabo preso, mas não tem nada. Eu estava lá há 8 anos, tenho formação acadêmica, como os outros que se rotulam, me capacitei e ainda tenho uma vivência no futebol. Fui crescendo. Comecei no Sub-13, passei para 15, depois 17 e agora 20. Foi um processo. Não caí de paraquedas. Eu agradeço muito a Instituição do Flamengo".

Quando questionado se esse "algo direcionado" havia sido por uma pessoa específica dentro do Flamengo, Gilmar Popoca foi honesto e citou o nome do seu ex-coordenador Leonardo Inácio.

"É o coordenador. É o Leonardo Inácio. A gente tinha algumas divergências. Eu respeitava a hierarquia, mas ele tinha que me respeitar como treinador. Como eu podia confiar em uma pessoa dessa? Ele foi ao quarto dos jogadores quando jogávamos a Copa RS, no Rio Grande do Sul. Inclusive, os jogadores envolvidos vieram até a mim e pediram desculpas e relataram o que havia acontecido".

Confira, abaixo, os demais trechos da entrevista com Gilmar Popoca:

Tem algum relato específico para contar?

Como o treinador consegue passar uma informação para o seu grupo e depois você fica sabendo que uma outra pessoa passou outra informação diferente da de antes. Eu, como treinador, não gosto muito da defesa jogando de forma posicional. Ou seja, eu gosto muito mais dessa movimentação. Eu gosto que o atacante seja pressionado pelos meus zagueiros. Um pressiona e outro fecha a diagonal. Eu penso, que se você der espaço, pode dar dificuldade. Essa pessoa foi ao quarto de dois atletas falar diferente. Eu não reconhecia eles no campo. Isso gerou uma dúvida neles. Isso foi um fato de vários acontecimentos.

Tem algum outro caso para contar?

Os jogadores,... olha que absurdo... essa é outra. Eu tinha um jogo decidido contra o Botafogo, e o Botafogo já tinha jogado contra o time de Zé Ricardo algumas vezes. Eu fui pedir vídeos para conhecer as características do adversário, pois eu estava na Sub-17... E isso foi negado para mim. Eu não recebi. Foi negado. Quem me negou foi o coordenador. Mas eu acho que isso teve o respaldo do diretor. Eu trabalho para o Flamengo. Até que fui tomar atitude, fui ao departamento de análise, fiz a reclamação e recebi o vídeo faltando um dia para o jogo. Enfim. São várias. Você vê quem tem covardia para que desse tudo errado. Mas ganhamos de 2 a 1.

Os jogadores também eram prejudicados?

Os próprios jogadores chegavam até a mim para reclamar e falavam: "o que os caras estão fazendo do outro lado do campo com o adversário?" Eu falava para eles darem a resposta dentro de campo. Então, os próprios atletas estavam revoltados com a situação. Os próprios jogadores observavam a covardia que eu recebia e questionavam. Ninguém tomou providência e ninguém disse nada. Mas para frente vou relatar. Os próprios jogadores falavam que era uma vergonha. Eu falava para esquecerem e dar resposta em campo.

Você se despediu deles?

Não me despedi deles. Eu recebi muitas mensagens deles, até mesmo de outros clubes. Acho que isso aconteceu pelo respeito que conquistei. O que eu sabia era que eu estava aprovado pelas pessoas, pela torcida e pela imprensa. Sempre falavam do potencial que a gente tinha na parte técnica. Se fizer uma pesquisa com os jogadores, certeza que o meu índice de aprovação com eles vai ser alta. Eu criei um clima bom com eles. Uma disputa sadia nos treinamentos. Não adianta você ser o maior conhecedor de futebol do mundo, se você não tiver um bom relacionamento com os atletas. Eu quero que esses meninos tenham muito sucesso. Quero que eles olhem para mim no futuro e falem: esse cara tem caráter. Esse cara é correto.

Você tentou falar com outros dirigentes ou com o próprio presidente do Flamengo?

Eu liguei para ele (presidente Eduardo Bandeira de Mello). Ele falou comigo que ficou surpreso, mas que foi uma determinação do departamento de futebol. Ele preferiu não falar muito. Tentei falar com outras pessoas relacionadas ao futebol, mas não fui atendido. Queria saber o motivo. Eu fora da metodologia do clube? Sou cria do clube.

Então você acha que o Flamengo não te avaliou de uma forma correta?

Eu não fui avaliado pela parte técnica. Lá no Flamengo você não é avaliado pela parte técnica. É avaliado pelo pessoal. Tem que ser amigo do amigo. Isso não é justo. O que eu posso dizer é que o Flamengo é muito maior que isso.

A reportagem do Esporte Interativo teve acesso ao documento que relata o desempenho de Gilmar Popoca como treinador da equipe Sub-20 do Flamengo. Confira nos arquivos abaixo.

Enquanto esteve no comando do Sub-20, Gilmar Popoca conquistou os títulos da Taça Rio de 2016, do OPG do mesmo ano, chegou à semifinal da Copa RS e foi vice-campeão da Copa do Brasil.

O Esporte Interativo entrou em contato com o Flamengo. O clube respondeu com a mesma nota oficial emitida na última quinta-feira (10), publicada após a demissão de Gilmar Popoca. Confira abaixo.

O Clube de Regatas do Flamengo comunica que Gilmar Popoca não é mais treinador da equipe Sub-20. A decisão foi tomada na noite desta quinta-feira (10), pelo Departamento de Futebol de Base.

O Flamengo agradece ao treinador pelos serviços prestados ao longo dos últimos anos, e deseja sucesso ao profissional na sequência de sua carreira.


Segundo o comandante, ele ouviu que estava fora da "metodologia do Flamengo" .

Postar um comentário

[facebook]

MKRdezign

{facebook#https://www.facebook.com/oficialsouflamengo} {twitter#https://www.twitter.com/SiteFlaHoje} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/+FlamengoHoje} {youtube#https://www.youtube.com/create_channel}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget