Botafogo diz que não alimenta violência contra o Flamengo

Foto: Reprodução SporTV)
GLOBO ESPORTE: Além da nota de repúdio em relação ao episódio de injúria racial de um torcedor a familiares do atacante Vinicius Junior, o presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, condenou a atitute do alvinegro. Em coletiva de imprensa no início da tarde desta quinta-feira, o dirigente leu o manifesto e citou a história do clube.

- O Botafogo não possui em sua centenária existência nenhum caso de racismo, pelo contrário. Sempre acolheu a diversidade entre cor da pele, não diria nem raça, pois somos todos da raça humana. Não gosto de divisões, até porque elas são todas ilusórias. Apesar de eu ter cara de europeu, minhas avós eram duas índias amazonenses. Então sou um branco fake, tenho orgulho em dizer isso. Não vai manchar nossa história centenária. Foi o ato de uma pessoa - disse o presidente do Botafogo.

O dirigente ainda cobrou que as autoridades tomem as medidas cabíveis, mas se disse tranquilo quanto à qualquer punição na esfera esportiva.

- Qualquer crime será tratado como o de ontem: identificado e conduzido às autoridades, para que tomem todas as medidas cabíveis. Foi o ato de uma única pessoa, ninguém mais apoiou essa atitude. Importante deixar isso muito claro. Que a gente trate o clássico que ocorreu com o futebol com o principal elemento. Estamos muito tranquilos, convictos que cumprimos nossas obrigações.

Carlos Eduardo Pereira reiterou que não teme punição do STJD. O Grêmio, por exemplo, foi excluído da Copa do Brasil em 2014 por conta de um episódio de racismo da torcida contra o goleiro Aranha, na época no Santos.

- De forma alguma, o Botafogo não concorda no sentido que haja qualquer paralelo no que ocorreu com o Grêmio. O CBJD indica caso a infração seja praticada simultaneamente por considerável número de pessoas, o que não ocorreu, Foi um ato isolado. Essa pessoa já está identificada e estamos bloqueando o acesso dela ao check-in. Não há preocupação.

Outros trechos da entrevista

Polêmicas com dirigentes do Flamengo
O que eu ouvi e falei essa semana foi no sentido de clássico de paz. Nenhuma declaração polêmica de parte à parte, nenhuma colocação que pudesse deixar uma rixa, pelo contrário. O fato de existirem divergências comerciais e jurídicas entre dois clubes não significa que vá passar para as arquibancadas.

Sobre a possibilidade de assistir jogos ao lado de outros dirigentes
Eu assisto ao lado da minha esposa. Cada presidente vai ao jogo com representante da sua diretoria. E é um momento de privacidade ali, não um outro momento político. Em momento nenhum a gente estimula divergência, agora a rivalidade é fruto do que ocorre no campo. E não pode excluir a situação da cidade, hoje com redes sociais marcam brigas de grupos.

Culpa dos dirigentes?
Não deixaria só por conta dos dirigentes, não. Todos nós, inclusive a imprensa, temos responsabilidade grande ao tratar o assunto. Com palavras mais duras o assunto pode repercutir. Se colocar mais gasolina, amplifica isso. Deve haver um esforço conjunto de todos trabalharmos.

Jogo de torcida única
Cito o caso da interpretação que deram à minha declaração de jogo com torcida única quando se tem 5% de torcida visitante. Vai demandar um enorme aparato de proteção. Nesses casos aliviaria a tensão se adotasse a torcida única. No restante, é procurar sempre manter um relacionamento civilizado. E que a imprensa nos ajude a levar ao grande público que pode discordar sem ser inimigo, sem agredir a outra parte.

Não deixaria só por conta dos dirigentes, não. Todos nós, inclusive a imprensa, temos responsabilidade grande ao tratar o assunto.

Marcadores:

Postar um comentário

[facebook]

MKRdezign

{facebook#https://www.facebook.com/oficialsouflamengo} {twitter#https://www.twitter.com/SiteFlaHoje} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/+FlamengoHoje} {youtube#https://www.youtube.com/create_channel}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget