"Flamengo não está habituado com Libertadores", diz R. Rocha.

Foto: Reprodução
SPORTV: O Flamengo dependia apenas de um empate, largou na frente contra o San Lorenzo, na Argentina, mas acabou levando a virada, por 2 a 1, e viu a classificação para as oitavas de final da Libertadores escapar – o Atlético-PR, que venceu a Universidad Católica por 3 a 2, selou a eliminação rubro-negra. Na visão do comentarista Ricardo Rocha, o Flamengo, por não estar presente na competição anualmente, ainda não aprendeu a por em prática uma estratégia que lhe renda voos mais longos, diferente de equipes como o Palmeiras e Atlético-MG.

- Se você pegar alguns clubes que investiram como Palmeiras, Flamengo, o próprio Atlético-MG, você ê uma diferença. O Galo é único brasileiro disputou todas as Libertadores nos últimos cinco, seis anos. O Flamengo entrou esse ano. Libertadores é outro campeonato. É como ir à Copa de quatro em quatro anos, como o Brasil, está acostumado a ir à Copa. O Atlético se acostumou a ir à Libertadores, mas o Flamengo não é um clube habituado a estar na Libertadores e sente o baque as vezes. Precisa amadurecer mais, jogar mais Libertadores – disse no “Seleção SporTV”.

Apenas uma combinação de resultados no Grupo 4 eliminava o Flamengo e foi justamente o que aconteceu, mas com requintes de crueldade. O San Lorenzo virou o jogo aos 47 minutos do segundo tempo, com Belluschi. O Fla ainda se classificava com um empate do Furacão, mas os paranaenses superaram os chilenos aos 41 da etapa final, com tento de Carlos Alberto.

Na visão do comentarista Paulo César Vasconcellos, o Flamengo renunciou à sua característica de equipe ofensiva e, somada à ausência do meia Diego, lesionado, acabou cedendo espaço para os gols dos rivais argentinos.

- Desde que o Diego se contundiu, talvez tenha sido a partida que o Flamengo tenha mais sentido não apenas a ausência dele mas de alguém capaz de fazer de maneira eficiente o que ele faz. Com o Diego, tem uma formação. Sem ele, o Zé Ricardo foi obrigado a achar uma outra que não dá tanta qualidade ao meio do Flamengo. Mesmo com outra formação, tem um cara dentro de campo que vai dar uma qualidade. Uma equipe quando renuncia ao seu estilo, paga caro por isso – disse.

Na visão do comentarista Paulo César Vasconcellos, o Flamengo renunciou à sua característica de equipe ofensiva.

Marcadores:

Postar um comentário

[facebook]

MKRdezign

{facebook#https://www.facebook.com/oficialsouflamengo} {twitter#https://www.twitter.com/SiteFlaHoje} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/+FlamengoHoje} {youtube#https://www.youtube.com/create_channel}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget