Flamengo Hoje

Últimas Notícias:

Foto: Flamengo
FALANDO DE FLAMENGO: Por Leonardo Lagden

Como um aficionado pelas letras, gosto sempre de pesquisar e entender o sentido das palavras. E durante esses dias, uma das palavras que mais tenho ouvido e resolvi estudar um pouco mais a fundo é: POTENCIAL.

Mas qual o motivo de tanto se ouvir sobre potencial? Com a Copa São Paulo de Júnior disputada em uma época de pré-temporada das equipes principais, todas as atenções são voltadas para os times das bases e os futuros profissionais.

É justamente no torneio de base mais importante do país, que começam a despontar os “Potenciais” atletas dos profissionais. Assistindo a última partida do Flamengo na competição, estava acompanhando os comentários pelas redes sociais. A bipolaridade da torcida é impressionante. Não basta mudar de opinião de uma partida para outra. Agora a mudança é mais dinâmica: acerta um lance e o atleta é gênio, craque. Erra o lance seguinte e o mesmo não serve para jogar no clube. Curioso é saber que são as mesmas pessoas que crucificam o treinador Zé Ricardo, por não dar maiores chances aos jogadores recém promovidos da base. Ou seja, a paciência com esses atletas e os clamores pelas escalações, morreriam em uma primeira partida ruim. Como exemplo, já prevejo a cena do jovem Ronaldo entrando como titular no lugar do contestado Márcio Araújo e em uma eventual falha, sendo criticado como o mesmo.

Voltando à definição da palavra Potencial, a mesma tem os seguintes significados: “possível, mas ainda não concretizado, virtual, em potência, em estado inacabado”. Além disso, vem do latim potens (“aquele que pode, potente”). Ou seja, temos que ter paciência com os nossos potenciais jogadores, as jóias que temos e teremos em mãos. Vi comentários ontem dizendo que Vinícius Júnior é “New Negueba” e afins. Menos, bem menos… Temos que ter em mente o potencial de cada um e saber fazer a transição de modo correto e cauteloso.

Analisando esse comportamento do torcedor, fico imaginando se existissem redes sociais na época do lançamento de Zico no time profissional. O mesmo estreou no profissional no ano de 1971. Entretanto, foi se firmar apenas no ano de 1974. Imaginem as cornetas e os adjetivos lançados ao Maior Jogador da História do Flamengo.

Foto: Divulgação/FOX Sports
FOX SPORTS: Protagonistas no mercado de transferências neste início de ano, Palmeiras e Flamengo devem travar batalha para contar com o atacante Eduardo Vargas, atualmente no Hoffenheim, da Alemanha, para a disputa da Conmebol Libertadores Bridgestone. Segundo informações publicadas pela versão chilena do diário As, o time de Parque Antártica teria realizado uma 'proposta de última hora' para ter o atacante, que recentemente recusou uma oferta do futebol chinês.

Porém, a publicação informa que o atleta está mais perto do Flamengo, que mantém negociações há algumas semanas e tenta a liberação de empréstimo com o time da Alemanha para ficar com o atacante logo neste início de temporada. O Palmeiras ainda sonha com a chegada de um 'camisa 9' de mais peso ao Allianz Parque.

Willian Bigde assinou por três temporadas com o Verdão, que ainda busca um acerto com Miguel Borja, atualmente no Atlético Nacional (COL). O atual campeão da Libertadores estaria pedindo R$ 86 milhões para liberar o centroavante ao time brasileiro.

No Brasil, Vargas teve boa passagem pelo Grêmio, onde despontou e garantiu um lugar na equipe titular da seleção chilena. Com a 'Roja', o atacante conquistou a Copa América de 2015. O Flamengo sonha com a chegada de um atacante que atue pelos lados do campo. Com a iminente saída de Fernandinho para o Grêmio, o técnico Zé Ricardo busca opções de mais renome para ocupar a posição. Na última edição do Campeonato Brasileiro, Gabriel e Éverton também atuaram na posição.

Foto: Reprodução Twitter / Rede Futebol
EXTRA GLOBO: Juridicamente, Conca já pode estrear pelo Flamengo. O nome do jogador apareceu nesta quinta-feira no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF e ele está regularizado. O contrato de empréstimo é válido até o fim do ano.

O argentino, no entanto, ainda se recupera de uma lesão no joelho esquerdo e só deve voltar aos gramados em meados de maio. O Rubro-negro ainda não dá uma previsão.

Também apareceram no BID, nesta quinta, os novos contratos dos volantes Márcio Araújo e Willian Arão, do goleiro Alex Muralha e do lateral-direito Léo, este emprestado ao Atlético-PR, com o Flamengo. Assim como a rescisão de contrato do meia Mugni.

Foto: Screenshot / Twitter
EXTRA GLOBO: Destaque do Flamengo na Copa São Paulo de Futebol Júnior, o atacante Vinicius Júnior, de apenas 16 anos, pediu desculpas à torcida rubro-negra no Twitter após a eliminação para o Corinthians nas quartas de final.

“Tudo passa... Desculpa a todos que estavam torcendo por nós e obrigado pelo apoio de sempre!! Vida que segue!!”, escreveu o garoto.

Vinicius não fez uma boa partida, nesta quinta-feira, na Arena Barueri. Perdeu, pelo menos, duas chances claras de gol e o Rubro-negro foi derrotado de virada por 2 a 1 pelo Timão, que agora encara o Juventus-SP na semifinal.

Foto: Staff Images / Flamengo
EXTRA GLOBO: O atacante Vinicius Júnior, de apenas 16 anos, foi o grande destaque do Flamengo na Copinha 2017. Apesar de ter desperdiçado duas chances claras de gol na derrota de 2 a 1 para o Corinthians, nas quartas de final, nesta quinta-feira, o garoto deixa a competição de cabeça erguida e revela a sua meta para 2017.

- Preferia sair da competição com o título, é claro. Mas foi um bom campeonato pra mim. Penso sim em um lugar no profissional, é a minha meta do ano - disse o jogador, que foi observado por um olheiro do Barcelona na Arena Barueri.

- Fico feliz com isso, mas agora é seguir trabalhando. Temos muitas competições esse ano - disse o garoto, por fim.

Além do Barça, Manchester United, Arsenal, Chelsea e Manchester City também monitoram o jogador, que tem multa rescisória de 30 milhões de euros (cerca de R$ 102 milhões).


Crédito: Gilvan de Souza (Flamengo)
ANDRÉ ROCHA: Dario Conca já trabalha na recuperação da séria lesão no joelho para poder estar apto o quanto antes para estrear no Flamengo.

Desde a primeira entrevista depois da confirmação da chegada do meia argentino, o técnico Zé Ricardo deixa claro que pensa no time com o reforço e Diego juntos na armação das jogadas, partindo a princípio do mesmo 4-2-3-1 que se afirmou no ano passado.

Ou seja, um dos dois meias seria o ponta articulador, que sai do lado do campo e circula pelo setor ofensivo com liberdade para deixar o desenho tático menos engessado que com os dois ponteiros fixos. Zé Ricardo sinaliza a montagem do time para que os movimentos já estejam assimilados até a entrada de Conca.

Para isso é preciso uma espécie de ''dublê'' e, pelo visto no início dos trabalhos, ele já está escolhido. Também argentino e canhoto.

Federico Mancuello foi contratado no início de 2016 porque a ideia de Muricy Ramalho era montar um meio-campo sem o típico camisa dez num 4-3-3 inspirado no Barcelona. O argentino não é volante nem meia, mas um meio-campista de área a área.

Com o time claudicante, os próprios problemas físicos e depois a chegada de Diego, Mancuello perdeu espaço. Mesmo sendo um dos melhores finalizadores do elenco. Com o time titular sofrendo para ir às redes no Brasileiro parecia um absurdo. Ainda mais porque, quando entrou, o argentino fez gols importantes, contra Atlético-PR, Cruzeiro e Chapecoense.

O problema era a adaptação à função pelo lado. Mancuello entrava bem na vaga de Márcio Araújo, com o time precisando atacar. Quando testado na ponta tinha dificuldades. Sem tempo para trabalhar com viagens e jogos decisivos, Zé Ricardo arquivou a ideia depois da atuação coletiva ruim no primeiro tempo dos 2 a 2 contra o Corinthians na volta ao Maracanã, com Mancuello pela esquerda. Até tentou um losango no meio contra o Coritiba, mas o desempenho também não agradou.

Agora, com calma e a vontade do jogador de tentar novamente, mas principalmente pelo ''fator Conca'', Zé Ricardo testa Mancuello nos treinos aberto pela direita. A ideia é que ele corte para dentro com a canhota, se junte a Diego no centro e deixe o corredor para o apoio de Pará ou mesmo Arão. Do lado oposto, Everton fica mais aberto e usa a velocidade, até porque Jorge é um lateral que ataca mais por dentro, não busca tanto o fundo.

A recomposição e a pressão no campo de ataque também precisam ser repensadas sem a intensidade e a rapidez de um ponteiro velocista como Gabriel, Fernandinho ou Cirino. Talvez sacrificar um pouco Pará, Arão e o volante mais plantado, que deve ser Romulo, para ganhar criatividade e poder de fogo na frente.

Sem tanta pressão no início do ano é possível experimentar mais, enquanto o clube não contrata o atacante de lado mais agudo, que ainda pode ser Berrío ou Vargas. Por isso Mancuello é a novidade na base mantida para 2017. O ''dublê'' de Conca.


Jorge, Diego, Willian Arão e Muralha foram convocados para a Seleção - Foto: Gilvan de Souza / Flamengo
UOL: Terceiro colocado no Campeonato Brasileiro de 2016 e postulante ao título durante boa parte da competição, o Flamengo viu o sucesso da temporada passada reconhecido na última quinta-feira (19). O Rubro-negro liderou a lista de convocados da seleção brasileira para o amistoso beneficente do próximo dia 25, contra a Colômbia, com renda destinada aos familiares das vítimas fatais do voo da Chapecoense.

O sucesso no Brasileirão, no entanto, não explica sozinho as presenças de Alex Muralha, Jorge, Willian Arão e Diego na lista do técnico Tite. Composta em conjunto com o departamento de preparação física de clubes e da seleção, a convocação privilegiou o clube que recebeu os atletas em melhores condições na pré-temporada para 2017.

Em acompanhamento realizado pelo preparador físico da seleção, Fábio Masheredjian, a comissão técnica do Flamengo deu os melhores retornos sobre as situações dos jogadores.

"O Flamengo foi o time com o menor número de lesões apesar de ter viajado mais do que qualquer outro em 2016. Ficamos felizes com a reapresentação dos atletas. Chegaram muito melhores do que no ano passado, não houve problemas de condicionamento. Somos o time a ser batido na área médica", explicou o chefe do departamento médico, Márcio Tannure.

Com jogadores "inteiros" e a boa fase em campo, o Flamengo se vê diante de uma situação que remete à melhor fase da sua história, a década de 1980. Foi em 1989 que o clube liderou uma lista de convocados pela última vez - também com quatro nomes.

Jorginho, Aldair, Zinho e Bebeto atuaram na vitória da seleção brasileira principal por 2 a 0 sobre o Paraguai, 12 de abril daquele ano - amistoso realizado em Teresina. Na sequência, os quatro ainda conquistaram o tetracampeonato mundial pela seleção, em 1994, na Copa dos Estados Unidos.

"É uma conjunção de fatores. O Flamengo dá todas as condições de trabalho, mas tenho a impressão de que o principal foi o mérito técnico. Não acho que nenhum dos quatro deixaria de ser convocado em comparação com os jogadores de outros clubes. Existe o mérito também da administração, pois três atletas foram aquisições recentes. O Muralha já vinha sendo convocado, o Arão é observado pelo Tite há tempos, o Jorge é um dos principais nomes da lateral esquerda e o Diego é o Diego. Não preciso falar mais nada. É o trabalho de vários setores do clube. O Flamengo voltou a ser protagonista", celebrou o presidente Eduardo Bandeira de Mello.

Dos quatro jogadores, apenas o goleiro Alex Muralha já vinha frequentando as listas de Tite. Jorge, Arão e o experiente Diego utilizarão o amistoso contra a Colômbia para confirmar a boa fase e postular uma vaga nas convocações oficiais dos próximos meses. Após o jogo da próxima quarta-feira (25), o Brasil volta a campo em março, nos duelos com Uruguai e Paraguai pela sequência das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo
UOL: Após longa novela, o Flamengo fechou o contrato com a TV Globo para a transmissão do Estadual-2017. A renovação se dará por três anos e o clube rubro-negro conseguiu que o dinheiro não passe pela Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro), uma das suas exigências. Ainda não foi possível obter o valor do novo acordo, embora seja certo que multiplique os ganhos anteriores.

O acordo será votado pelo Conselho Deliberativo na próxima quinta-feira (26) juntamente com o feito sobre a Primeira Liga que também terá validade por três anos. Com isso, dará tempo para que as partidas do Flamengo, que estreia no dia 28, sejam transmitidas.

Todos os outros clubes do Rio de Janeiro já assinaram o contrato do Estadual desde o segundo semestre do ano passado. O acordo do Flamengo emperrou porque sua diretoria fez duas exigências à Globo: que o dinheiro não passasse pela Ferj e que houvesse uma cota maior em relação aos outros grandes times.

A princípio, a Globo não aceitou e assinou com os outros. Mas, quando o Estadual se aproximava, ficou claro que a competição tinha perdido valor de mercado sem o Flamengo. Com isso, a emissora chamou os cartolas rubro-negros para voltar à mesa de negociação e tentar um acordo. Pelo menos a demanda de que o dinheiro não passasse pela Ferj foi atendida.

A expectativa é de que o Flamengo dê um salto nos seus ganhos que eram de R$ 7,5 milhões com Estadual até 2016. Mas não está claro se ganhará mais do que os outros grandes. A reportagem ainda não obteve os valores do novo acordo, mas ele deve ser multiplicado por três ou quatro vezes.

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo
LANCE: Em silêncio, Conca vai dando prosseguimento à sua recuperação da cirurgia no joelho esquerdo. A previsão inicial é de que o argentino tenha condições de jogo no fim de abril ou início de maio. Nestes primeiros dias de pré-temporada com o restante do elenco do Flamengo, o camisa 19 vem surpreendendo positivamente. Pelo menos, é o que afirma o técnico Zé Ricardo.

- Ele tem treinado até em três períodos. Sempre se mostrou um atleta intenso e profissional também fora de campo. Acreditamos que ele possa nos surpreender, mas sem nenhum tipo de pressão. Quando ele estiver apto, temos alguns pensamentos para ele, jogando com o Diego, como segundo meia. Ele é um jogador que tem que ficar perto do gol, pela versatilidade de jogo, com capacidade de decidir uma partida em um toque, passe ou finalização. É um jogador que traz muito mais soluções do que problemas táticos - pondera o treinador.

Nesta semana, o chefe do departamento médico do Flamengo, Márcio Tannure, evitou projetar um prazo para o retorno do argentino aos jogos.

- Não gostaria de falar em prazo, mas sim em etapas. Jogador como o Conca precisa passar por etapas. Se ele cumprir estas etapas antes do tempo previsto, não tem porque não liberarmos. Se, por outro lado demorar um pouco mais, não vamos forçar uma situação. Foi a primeira lesão grave dele - disse o médico.

Conca teve o nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID) na quinta-feira. Ou seja, legalmente, já pode estrear pelo Flamengo.

Márcio Araújo - Foto: Gilvan de Souza / Flamengo
LANCE: Flamengo segue em busca de jogadores que possam reforçar o ataque e ter bom desenvolvimento de jogo pelas pontas. As negociações caminham a curtos passos e, para ex-jogadores do Rubro Negro, é essencial que Zé Ricardo filtre a base e dê uma oportunidade aos jovens atletas.

Dentro de casa, as opções mais cotadas para a posição são: Everton, Gabriel, Adryan e Cirino, jogadores já conhecidos pela torcida. Porém, os atletas da base estão se destacando e podem ter chance no time em 2017. Lucas Paquetá e Matheus Savio, convocados para a Seleção Sub20, participaram de disputas no time titular em 2016 e tiveram desempenho notável. Além deles, o mais jovem de todos, Vinícius Júnior, está conquistando os torcedores rubro-negros por seu desenvolvimento na Copinha e, promovido a profissional, também pode se juntar ao elenco titular em algumas disputas este ano.

Para os especialistas, a diretoria tem que se preocupar com a posição, mas deve filtrar os jogadores que já pertencem ao clube antes de contratar novos atletas. Afinal, os garotos formados em casa também merecem uma chance.

CANTARELI (goleiro multicampeão brasileiro pelo Flamengo)

O Ricardo teve praticamente nove meses para conhecer o elenco, então devem ter escolhido bem alguns jogadores para ficarem na posição. E pode encaixar os atletas disponíveis no grupo. Não adianta ter 11 bons jogadores no elenco e improvisar os atletas em outros setores por falta de contratações para as áreas que precisam. O time é bom. Estão um pouco mais improvisados do que no ano passado, mas Gabriel, Everton, Adryan e os meninos que vieram da base e estão na seleção foram bem.

A torcida critica demais! Márcio Araújo, por exemplo, era um bom jogador e a torcida critica faz tempo. Romulo pode ajudar o Márcio Araújo ou o elenco a se ajustar melhor. Pouco tempo atrás, o time não tinha bons substitutos e, por isso, precisava utilizar jogadores de outros setores. Para o grupo ter boa sequência, tem que ter jogadores especificos nas posições que já costumam atuar.

RONDINELLI (zagueiro do Flamengo durante dez anos e campeão da Libertadores de 81)

Vinicius Junior está fazendo chover na Copinha. Hoje, temos opções de jogadores versáteis já atuando, caso de Diego, que cai pelo lados. Amanhã tem o Conca, que se voltar com 75% da condição física e da habilidade que tinha, pode jogar pelo lado esquerdo e direito. Cirino e Gabriel podem ser encaixados no time também, se nenhum clube se interessar. O Flamengo tem grandes opções na base. Eles devem procurar esses garotos para criar uma realidade de palco. Vários deles estão se destacando na Copinha. Todo esse elenco montado do ano passado, se juntar com a garotada da base que vem se destacando, como Paquetá e Vinicius Júnior, vai fazer o time render muito. O Flamengo está montando uma equipe competitiva entre os próprios jogadores. Tem que renovar o elenco, mas priorizar os já de casa.

ANDRADE (ex-volante rubro-negro e técnico do time campeão brasileiro de 2009, eleito melhor técnico no mesmo ano)

Zé Ricardo precisa analisar o que tem em casa, priorizar a base. Os garotos estão a espera de uma chance. Se não derem retorno, o clube deve procurar alterativas de fora de casa. De fora, tentou com Vitinho, do Internacional, e não conseguiu. Everton já provou que é um grande jogador, em 2009, quando atuou como atacante e foi bem pelos lados alcançando as expectativas. Como meia-atacante, Everton se empenhou e se destacou na posição também. Quem sabe, aparece alguém como Jorge, que deu resposta que o clube precisava? O mesmo pode acontecer com Paquetá e Viseu, que são da base e estão se destacando no time. Cabe ao técnico analisar. Mas as opções de casa devem ser testadas antes de contratar algum jogador.


Foto: AP/Dolores Ochoa
GLOBO ESPORTE: A Conmebol divulgou na noite desta quinta-feira o regulamento da Taça Libertadores de 2017, a apenas quatro dias do início do torneio. Nesta edição da competição sul-americana, os confrontos das oitavas de final serão definidos em sorteio - antes, o primeiro na classificação geral enfrentava o 16º. Além disso, não há limitação para estrangeiros em cada equipe.

Saiba o que cada brasileiro vai encontrar pela frente na Libertadores

Mesmo país na final

Outra novidade no regulamento é o fato de times do mesmo país poderem se enfrentar na final, caso o cruzamento não os coloque na mesma semifinal. Até o ano passado, caso estivessem em lados opostos na semi, as equipes eram obrigadas a se enfrentar. Só era possível uma decisão entre brasileiros, por exemplo, se três chegassem à fase anterior.

Critérios de desempate

O ranking da Conmebol, agora, é o último critério de desempate na fase de grupos - antes, havia a possibilidade de sorteio caso todos os critérios estivessem empatados. O gol fora de casa segue valendo "dois" em caso de empate até a semifinal. Na decisão, em caso de igualdade após os 180 minutos, haverá prorrogação e pênaltis, caso ela persista.

Número de inscritos

Os times terão de inscrever 25 jogadores para as fases iniciais da Libertadores. Quem passar para o mata-mata, pode colocar mais cinco nomes na lista, sem precisar substituir quem já estava, totalizando 30 inscritos. Até 48h antes da semifinal, os classificados podem substituir até três atletas. Não serão permitidas alterações antes da decisão - goleiros lesionados são as únicas exceções em todas as fases.

Segurança

Por questões de segurança, seguem proibidos nos locais das partidas objetos pirotécnicos, como fogos de artifício, bombas de efeito sonoro e de fumaça e sinalizadores. O regulamento prevê "severas medidas disciplinares" caso torcida de algum clube descumpra as regras. Torcedores alcoolizados também não poderão entrar nos estádios.

Sul-Americana

Os quatro times que forem eliminados na terceira fase (antes da fase de grupos) e tiverem a melhor performance até então, vão se classificar automaticamente para a segunda fase da Sul-Americana de 2017. Os terceiros colocados em cada chave também vão para a competição.

Os brasileiros

Palmeiras, Santos, Flamengo, Atlético-MG, Botafogo, Atlético-PR, Chapecoense e Grêmio são os representantes brasileiros na Libertadores.

Foto: Cahê Mota
GLOBO ESPORTE: No dia 25 de janeiro de 2015, o zagueiro Samir recebeu passe milimétrico de Luiz Antônio e, de cabeça, marcou o gol da vitória sobre o São Paulo, proporcionando ao rubro-negro carioca o ''título'' do Super Series, Torneio de Verão disputado em Manaus, na Arena da Amazônia. O lado negativo é que, desde então, o Fla não voltou a erguer taças pela categoria profissional.

Colocando panos quentes no ''jejum'', é bem verdade que dois anos não é muito tempo. Por outro lado, desde o caneco da Copa do Brasil, em 2006, o Fla não ficou duas temporadas completas sem ter sido campeão, nem que tenha sido em âmbito estadual. E, se desconsiderar a competição amistosa, o clube não ganha algo de expressão desde o Campeonato Carioca de 2014, quando foi campeão em cima do Vasco.

Com as finanças sendo equilibradas, os torcedores até acreditaram que 2016 não passaria sem título, mas o rubro-negro profissional amargou eliminações e derrotas ao longo da última temporada. Apesar do terceiro lugar no campeonato Brasileiro e título da Copa São Paulo Júnior, o Flamengo foi eliminado da Primeira Liga, Campeonato Carioca, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana.

Super Series

O torneio foi disputado por Flamengo, Vasco e São Paulo. Após vitória por 1 a 0 sobre o Vasco na primeira rodada, e novo resultado positivo, pelo mesmo placar, sobre o São Paulo, o Flamengo conquistou o título da competição de forma invicta, no dia 25 de janeiro. O Tricolor Paulista, com vitória por 2 a 1 sobre o Cruzmaltino, garantiu a vice-colocação, deixando o alvinegro carioca na lanterna, sem pontos somados. Veja vídeo da final.

Foto: Staff Images / Flamengo
GLOBO ESPORTE: O mais citado, observado, analisado, elogiado, admirado. Por mais que o Flamengo tenha sido eliminado nas quartas de final da Copa São Paulo de Futebol Júnior, vai ser difícil ver algum outro jogador superar Vinicius Junior no quesito audiência. Sucesso absoluto durante a competição, o atacante rubro-negro esteve com todos os olhos voltados para ele sempre que esteve em campo. Vinicius atraiu olhares e idiomas diferentes. Virou manchete até em jornais da Espanha.

Aos 16 anos, a joia do clube da Gávea brilhou. Em setes jogos na Copinha - cinco deles como titular no time de Gilmar Popoca -, marcou quatro gols e deu passe para outros cinco na campanha do Flamengo. Na derrota por 2 a 1 para o Corinthians nesta quinta-feira, o jogador perdeu dois gols. Fizeram falta, mas não apagaram o bom desempenho dele.  

- Muito aprendizado pra mim e para toda equipe. Principalmente para mim, por ser a minha primeira Copinha. Temos que trabalhar bastante, sabemos que faltam algumas coisa para melhorar, sempre falta. Voltamos para o Rio de cabeça erguida - disse ao GloboEsporte.com.

Ao longo da Copinha, o jogador foi chamado de "Novo Neymar" pelo diário espanhol "AS". Também da Espanha, o jornal "Sport" publicou uma reportagem de página inteira sobre "a joia mais desejada". O periódico afirmou que o Barcelona já conversa com o staff do jogador para manifestar interesse na contratação de Vinicius, que lida com o assunto na maior naturalidade. 

- Eu venho acompanhando, sim, mas estou bem tranquilo. O Barcelona já vem me acompanhando há tempos, há dois anos, desde o Sul-Americano. Eu já sabia dessas notícias, por isso estou bem tranquilo. Eu sou jogador do Flamengo e vou jogar muito no Flamengo ainda. Vou jogar bastante.

Com contrato até o meio de 2019 e multa rescisória estipulada em 30 milhões de euros (R$ 101 milhões), Vinicius veste a Amarelinha desde os 13 anos, quando foi convocado para a seleção brasileira sub-15. Analistas de desempenho de grandes clubes europeus já o acompanham e conhecem seus números e características há tempos. O Barcelona o observa desde 2015, quando o Brasil ganhou o Sul-Americano Sub-17 contra a Colômbia. Na ocasião, Vinicius brilhou ao lado de Vitinho, do Corinthians.

Agora que a Copinha terminou para o Flamengo, o atacante vai ter contato mais próximo com a equipe de trabalho do futebol profissional do Rubro-Negro. Mas ainda não será uma mudança de categoria. Vinicius vai ser o pioneiro de um projeto que está em desenvolvimento e ganhará corpo ainda no primeiro semestre. Trata-se do "Pratas do Ninho". A ideia é destacar membros do futebol profissional para trabalhar com Vinicius Junior e outros garotos que estavam na competição.

- O Flamengo tem um projeto pra mim, estou tranquilo com isso tudo. Meu projeto é ganhar vários títulos na base e se Deus quiser subir para o profissional ainda esse ano. Espero ser convocado para o Sul-Americano também - disse.

Ele tem boas chances de ser convocado para o Sul-Americano Sub-17, que vai ser realizado no Chile entre 23 de fevereiro e 19 de março. Isso poderia atrasar um pouco o projeto idealizado pelo Flamengo e uma possível promoção definitiva.

Foto: Gabriel Fricke
GLOBO ESPORTE: Vice-presidente de Esportes Olímpicos do Flamengo, Alexandre Póvoa esteve na sede do clube na Gávea, bairro da Zona Sul do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira, para apresentar oficialmente o mais novo reforço do basquete rubro-negro, o americano Hakeem Rollins, que joga como pivô e passou as últimas três temporadas na Argentina. Após a coletiva, falou sobre outras situações relevantes envolvendo tanto o basquete quanto outros esportes. O dirigente revelou, por exemplo, que recebeu ofertas para que a equipe da Gávea tenha novas modalidades, como surfe e vôlei de praia. Com a estratégia de pensar primeiramente em desenvolver esportes já praticados por lá, como judô, ginástica artística, vôlei e natação, ele afirma que sua missão é transformar o Rubro-Negro em "maior potência olímpica do país".

- O Flamengo cresceu muito nos últimos anos no esporte olímpico, mas existe um dogma. Eu, que fui criado aqui dentro, vejo o clube como um só, uma marca com possibilidade de expansão enorme. Mas tem uma coisa que foi estabelecida em 2013: os vasos não são comunicantes. O social tem que se virar, o olímpico tem que se virar, e o futebol tem que se virar. E mesmo que sobre dinheiro de um lado, os vasos comunicantes não existem. Em um primeiro momento, sanamos dívidas. Depois, tornamos o esporte olímpico autossustentável com um com grande investimento, o basquete. Temos que dar o próximo passo, mas na hora de dar encontramos o país em crise. A intenção é fazer do Flamengo a maior potência olímpica do país. E a ideia não é abrir novas frentes agora: toda hora tem proposta aqui de abrir algum esporte. "Vamos abrir um esporte de luta". O surfe, que agora é olímpico, veio proposta de abrir outro dia. O vôlei de praia também, porque temos uma quadra de areia. Mas não vou abrir outras frentes porque eu quero esporte de alto nível. O próximo passo é fazer os outros esportes (ginástica artística, judô, natação etc) seguirem o basquete, mas o país precisa melhorar - explicou.

Alexandre Póvoa lembrou que, na parte de estrutura, alguns esportes já contam com ótimas condições. Mas para crescerem como o basquete precisam de patrocinadores.

- Ano passado jogamos a Superliga B, foi a primeira tentativa de voltar com o vôlei de alto nível. Tem esportes que vivem só de Lei de Incentivo. E o vôlei é um esporte mais caro que o basquete. Um time de vôlei, por exemplo, o Cruzeiro, que ganhou tudo nos últimos anos, tem o dobro do orçamento do basquete do Flamengo. O vôlei envolve mais dinheiro. Para o Flamengo entrar fazendo papel de Flamengo, precisaria de uma patrocínio grande. E além de estar muito difícil de conseguir patrocínio, há opiniões diferentes na diretoria sobre isso. Não vejo problema você subsidiar um esporte um ano para depois ele andar. Mas há opiniões diferentes, e elas geralmente são muito duras contra isso. Eu, por exemplo, só vejo sentido em continuar esse trabalho no Flamengo se for para ter um time de natação de bom nível, de judô de bom nível, de ginástica... Ginástica nós já temos no feminino, que é a base da seleção brasileira. A gente reformou o clube inteiro. Temos dojô de alto nível, ginásio de bom nível, piscina mista de alto nível - falou o vice.

Especificamente sobre o basquete, Alexandre Póvoa comentou dois assuntos importantes. Primeiro, falou com relação à Arena Multiuso da Gávea. Depois de conseguir a licença final da Prefeitura do Rio de Janeiro em dezembro, a diretoria passou a trabalhar com um prazo mais concreto para ter pronta a sua casa própria. O vice acredita que isso vá acontecer até o fim de 2018. Para isso, ele prevê que as obras se iniciem até o meio do ano. No momento, a fase é de ajuste de questões comerciais com o McDonald's, empresa que vai investir na instalação esportiva um montante de R$ 30 milhões. Depois, tudo será passado para aprovação no Conselho Deliberativo.

- A Arena foi aprovada pela Prefeitura, então eu poderia começar a construir. Só tem uma exigência aí que, há 20 anos, tiraram um posto de gasolina, mas ficaram os tanques na parte debaixo. Isso é simples. Estamos em fase final de negociação, não em sentido de quererem ou não quererem. Eles querem. Só estamos fechando algumas coisas: eles querem 30 anos, queremos 20. É isso aí. São coisas normais... O valor, por exemplo, já mudou. Há quatro anos, eram R$ 20 milhões, agora serão R$ 30 milhões. Vamos levar isso ao Conselho quando acabar esse processo, provavelmente ao longo do primeiro trimestre. Sendo realista, esperamos começar até o meio do ano a obra. O  mais difícil foi cumprido: esses quatro anos peregrinando por órgãos públicos para uma obra 100% com dinheiro privado - comentou.

Em segundo lugar, o vice de Esportes Olímpicos comentou sobre a reposição de um patrocinador master para o basquete. A empresa Sky deixou o Rubro-Negro em junho do ano passado. Não há previsão de fechar negócio, mas há conversas até para dividir patrocínios com o futebol.

- Perdemos um patrocinador importante e não é segredo que o momento é difícil em termos de patrocínio no país. Tivemos propostas pequenas que não achamos que tinha sentido em ocupar a camisa por tanto tempo. Preferimos trabalhar com a realidade de não ter patrocinador master porque isso só representa 1/3 do nosso orçamento. Nossos outros 2/3 são de Lei de Incentivo, de ICMS, do governo do Estado. Já temos a lei aprovada, e o dinheiro pronto para colocar certinho, só que o governo, com todos os problemas que está passando, posterga. Estamos tranquilos porque com esses 2/3 é o time que está aí. Infelizmente, esperávamos estar na Liga das Américas. Aí sim esse dinheiro faria falta. O Flamengo tem conseguido patrocínios interessantes no futebol, como a Carabao (marca de bebidas energéticas tailandesa que vai injetar um montante de quase R$ 190 milhões em seis anos). Estamos conversando com algumas empresas para patrocínios junto com o futebol, futebol e basquete. Não adiantaria ganhar um pouco mais para me aliviar um pouco e não ter custo-benefício tão bom - concluiu.

GLOBO ESPORTE: A convocação de Tite para o amistoso entre Brasil e Colômbia, marcado para o próximo dia 25, empolgou a torcida rubro-negra. Na lista, Alex Muralha, os estreantes Jorge e Arão, além de Diego, o mais acostumado com a Amarelinha do quarteto. Mas defender seleções é normal no elenco do Flamengo: 21 dos 35 atletas já representaram suas respectivas pátrias.

Dentre os 21 "selecionáveis" rubro-negros, oito não foram chamados após a profissionalização. Um destes é Conca, principal contratação para a temporada de 2017. O diretor executivo do Flamengo, Rodrigo Caetano, trata o número como "expressivo" e aposta em novas convocações.

- Indica que a gente, com o passar do tempo, está se qualificando. Quando atletas são reconhecidos e relacionados para as seleções de seus respectivos países - e aqui temos vários -, isso demonstra que  temos mirado ter no elenco cada vez mais jogadores de grande nível. Com o passar do tempo, não tenho dúvida de que outros virão. É um número expressivo, cabe a nós qualificar ainda mais o nosso grupo. Essa é a ideia - afirmou Caetano.

Diego, um dos principais jogadores revelados pelo futebol brasileiros nas últimas duas décadas, sentiu-se como um menino após voltar à Seleção após muito tempo.

- Sensação maravilhosa, uma alegria que não cabe no peito. Estou aqui como um garoto. Pode-se comparar à minha primeira convocação para a Seleção (que aconteceu em abril de 2003). Estou muito feliz e orgulhoso por essa oportunidade depois de ter ficado muito tempo fora.

Estreante com a Amarelinha, Arão foi o mais emocionado dos quatro em vídeo divulgado pela Fla TV. Jorge, o mais novo dos quatro e acostumadíssimo a ser chamado para as seleções de base, pensou mais na alegria do pai do que na própria.

- Indescritível. A emoção é muito grande, não dá nem para falar. Todo jogador sonha com esse momento e, graças a Deus, chegou a esse momento. Tenho que agradecer muito aos meus familiares e companheiros. Espero que não seja só uma passagem e mostrar meu trabalho para poder construir algo com essa camisa tão importante - afirmou Arão.

Confira a lista dos 21 "selecionáveis" do atual elenco:


Staff Images/Flamengo
GARRAFÃO RUBRO-NEGRO: por Rafael Rezende

Na apresentação de Hakeem Rollins, Alexandre Póvoa pegou a palavra e expôs sua insatisfação com a exclusão dos clubes brasileiros da Liga das Américas. O Vice-Presidente de Esportes Olímpicos se mostrou inconformado com a punição por conta da CBB e afirmou, que se necessário, o Flamengo irá processar todas as entidades envolvidas. Mas não parou por aí. Ao fim da coletiva, o Dirigente conversou por cerca de trinta minutos com o Garrafão Rubro-Negro e abordou mais assuntos polêmicos, como o lance que agravou a torção de tornozelo de Marcelinho Machado. Confira a entrevista completa na íntegra a seguir.

Saída forçada da LDA

"A estratégia foi combinada com a Liga Nacional de Basquete, pois a gente não ficaria brigando com FIBA e CBB no momento em que estávamos negociando uma possível volta para a Liga das Américas. Fizemos o acordado, mas chegamos no limite. A competição começa hoje e o Flamengo tem obrigação de se posicionar. Existe o lado pragmático, de um clube que foi protagonista nos últimos quatro anos. Nós ajudamos na projeção da FIBA Américas no mundo e, na hora que precisamos do bom senso deles, para disputar um campeonato, não aconteceu. Nós não poderíamos jogar um Mundial sem o vínculo que existe entre LNB e Federação. Os principais clubes europeus se separaram, então, se tivéssemos vencido a edição passada, iríamos enfrentar o camoeão da Liga Europa, e não o da Euroliga. Por que aqui ainda não existe separação? É simples, nós precisamos do crescimento. O que eu lamento é que, na hora H, a decisão foi tomada sem justiça."

Imbróglio envolvendo CBB, FIBA e LNB

"Foi o que eu acabei de exemplificar. Você tem o corpo podre do basquete brasileiro, que está doente, e tem o outro, totalmente bom. No momento do ataque, sobra para quem justamente faz o certo. Isso não tem o menor sentido. Se a FIBA quer o bem do nosso esporte, intervir e prejudicar a Liga das Américas é um tiro no pé horroroso. Não tem lógica e foi o que tentamos mostrar, mas sinceramente, estou percebendo uma intransigência muito grande. Espero que não exista nada por trás. A LNB, por ser independente, incomoda algumas Confederações e Federações. Vimos, recentemente, que a CBB partiu para o confronto contra uma instituição que só a ajudou. A obrigação era fomentar seleções e categorias de base no Brasil. O que aconteceu? Temos equipes que não vão disputar suas competições. Essa formação é péssima. E o NBB, que contribui com a LDB, sai prejudicado. É uma decisão estranha, mas nós vamos continuar lutando para que haja uma reviravolta. Caso não seja confirmada a participação, o Flamengo, em razão do conjunto da obra, irá acionar e processar todos os órgãos que prejudicaram o clube nessa situação."

Danos ao Fla

"Não é um prejuízo pontual, como o valor da premiação. Posso até listar alguns, por exemplo, a procura por patrocínio. É óbvio que, com o Flamengo fora da Liga das Américas, isso prejudicou. Ano que vem, quando eu for renovar com um patrocinador, ele vai perguntar o que ganhei. Pode ser só o NBB. Sem chance de vencer a maior competição do continente e disputar o Mundial. Fica difícil conseguir enfrentar uma franquia da NBA. Nós conquistamos a vaga dentro da quadra e, depois termos sediado dois Final Four, com investimento alto e risco enorme, acontece esse tipo de coisa. Tivemos perdas, mas cumprimos com as nossas obrigações. É algo paradoxal logo conosco, que passamos por um processo de reestruturação financeira e fizemos sacrifícios. Viramos exemplo de clube cidadão e nos eliminam de um torneio invés de combater uma Confederação. Ainda assim, vamos lutar até o fim pela presença."

Prazo extra dado para resolução do caso

"Sou muito honesto em relação a isso. A punição ocorreu no dia 14 de novembro e estamos discutindo há mais de dois meses... Não começou nessa semana. Colocamos todos os argumentos. Não é só o Flamengo que está envolvido, tem a Liga, que está sendo representada por Domenici e Kouros. E quais são os sintomas que percebemos? O primeiro, é que a FIBA enrola, exige que a LNB faça um posicionamento, envolva o Ministro e peça ajuda ao COB. Com todo respeito que o Comitê Olímpico merece, não dá para querer o torneio nacional. E a Federação, que deveria ter um interesse próprio, não percebe que a exclusão dos times brasileiros é ruim, pelo menos a princípio. Normalmente, a tabela é lançada em cima, no meio de dezembro. Nessa temporada, estranhamente, saiu logo depois da decisão. O que me leva a acreditar que não há interesse. Será que querem promover o basquete argentino? Pois a Venezuela, que ganhou ano passado, já sumiu do mapa. Estou sendo realista, os argumentos estão na mesa. Agora, tem a hipótese da criação de um novo grupo no fim de fevereiro, com Bauru, Flamengo, Mogi e outra equipe. Seria uma dificuldade imensa. Eu trabalho no mercado financeiro, com evidências e fatos. Então, acredito que a FIBA não quer voltar atrás. Espero que prevaleça o correto e, caso aconteça, vou aplaudir."

Momento da modalidade no Brasil

"Eu diria que é perigoso, apesar de termos avançado bastante nos últimos nove anos. É só comparar o que era o basquete brasileiro antes disso. Na década 80, quando eu jogava pelo Flamengo, era o segundo esporte do país. Depois, chegou a ser quinto e ou sexto, basta olhar os números. Hoje, está caminhando em passos largos e se tornando o terceiro. Existe uma crescente com a NBA, que vem ajudando. A Rede Globo vai transmitir as finais e, com isso, puxar o NBB junto. Mesmo com todas as dificuldades, a Liga Nacional está indo bem. Já as Federações, estão falidas. A do Rio não tem conta bancária há mais de cinco anos. O Flamengo deve um bom dinheiro, quer pagar, porém, não consegue. Não tem como. Alguns clubes aceitam transferir para contas de pessoas físicas, nós não. Atualmente, temos nove jogadores nos Estados Unidos. O Cristiano Felicio está jogando 25 minutos em Chicago, o Nenê é titular em Houston. Então, eu não sei porque as seleções brasileiras, tanto na base, como no profissional, não conseguem avançar."

Intervenção e seus desdobramentos

"É estranho ver a CBB se voltando contra a Liga e algumas Federações tentando querer retomar o poder, como a do Ceará, que propôs umas coisas malucas. Os clubes têm que se unir. O Flamengo tem um rumo claro. O NBB é um oásis no basquete, no que diz respeito a organização. Vemos defeitos, como arbitragem e STJD, mas isso discutimos internamente. Vou dar um exemplo: naquele W.O que tomamos, contra o Pinheiros, em 2014, acabamos brigando em público com a LNB. Nisso, a Confederação Brasileira veio falar com a gente. Disse para entrarmos no Supremo Tribunal deles, porque do outro lado, não existia. Na época, alegaram que ganharíamos fácil. Eu afirmei que uma coisa é questionar uma decisão, farei quantas vezes forem necessárias em prol do Flamengo. Outra é ir contra. O nosso aspecto é o mesmo da Liga. Acreditamos no desenvolvimento e sabemos da dificuldade de se manter financeiramente. Comparada ao futebol, a visibilidade é baixa. O problema, aqui, é que ninguém toma conta bem do que é seu. É complicado."

Opinião sobre a fase rubro-negra em caso de mudança de posturam e um balanço geral

"O Flamengo chegaria para ganhar a Liga das Américas, não tenho a menor dúvida sobre isso. No esporte, é preciso se planejar. E nós planejamos cada momento durante o decorrer da temporada. Tivemos uma redução de orçamento e foi um problema, mas não conseguimos lutar contra. Não vamos debater se o Marketing foi bem ou não, é interno. Eu tenho uma discussão todo dia aqui por conta do esporte olímpico. Dessa vez, queria rejuvenescer a equipe. Na temporada passada, fomos campeões, entretanto, perdemos nosso principal objetivo de uma forma dura. Ganhamos o NBB com dificuldade. Tivemos cinco jogos contra Mogi, inclusive um maluco, onde poderíamos ter caído fora, e mais cinco diante de Bauru, e só a última partida foi tranquila. De 1 a 10, em termos de potencial que tínhamos, dou nota 7. Queremos que o time consiga o máximo. Fizemos apostas, pois achávamos que o setor de armação precisava evoluir. Trouxemos o Fischer e Humberto. O Lelê, que foi um investimento menor, está surpreendendo positivamente, ao lado do Pedrinho. Marcelo e Marquinhos renovaram. Com 41 anos do Machado, nós não sabíamos como iria reagir. Ele se lesionou, deve ficar de fora contra Franca, mas tem voado. E a posição que mais precisávamos de reposição era pivô. Tínhamos três, nenhum pesado, e o João Vitor, que é novo. Reforçamos dentro do orçamento previsto, pois havíamos poupado para fazer nessa época. Acredito que JP, Mineiro e Olivinha estavam dando conta, mas talvez, na LDA, não fosse suficiente. Os problemas de lesões aconteceram e aonde eu achava que estava coberto no rodízio, me enganei. Os meninos passaram a jogar mais e evoluíram. Atletas que atuavam cinco minutos, hoje jogam tranquilamente quinze. Quando todos estiverem de volta, principalmente o Ricardo Fischer, teremos um grupo equilibrado. Com uma mistura de juventude e experiência, e possibilidades de chute de fora. Confio que vamos chegar nesse ponto e a chance de título será alta."

Qualidade do NBB

"O nível melhorou esse ano, afinal, os times que eram médios, ficaram fortes. Se você não jogar bem contra Basquete Cearense e Campo Mourão,  perde. Nossa primeira derrota foi diante da equipe comandada pelo Bial. Naquele dia, não rendemos o esperado. Se acontecer novamente, perderemos. Bauru, Brasília e Mogi continuam sendo os adversários fortes. Parando para analisar o jogo de sábado, estaremos sem três. É algo que preocupa, ainda mais diante de um elenco repleto de garotos. Na terça, contra os bauruenses, será mais duro ainda. Mas o importante mesmo é manter a primeira colocação, conquistar o mando de quadra, e estar saudável nos playoffs."

Caso Tyrone

"Nós enviamos uma nota de protesto à Liga Nacional de Basquete, já que não é a primeira vez que ocorre. É até engraçado, porque, no e-mail, eu transcrevi um protesto do jogo semifinal do NBB 8, em Mogi. Não somente em razão do Tyrone, mas por vários acontecimentos. E, claro, quis ressaltar que isso não é de agora. Não quero entrar no assunto da pessoa física, considero o atleta um bom jogador. Não é possível que essas ações contra o esporte não sejam reprimidas por juízes. Preciso evidenciar que não tenho nada contra punir a reação. Se Marcelinho e Ricardo Machado agiram de forma destemperada, não vou passar a mão na cabeça e dizer que eles tão certos. Mas chega num ponto que o ser humano não aguenta. Não pode existir essa história em que o agressor fica em quadra e os agredidos são punidos. E, veja bem, não ocorreu só com o Flamengo. A LNB falou que buscará provas através dos vídeos e eu espero que aconteça em todos os confrontos. Não dá para restringir entre Facebook Live e TV aberta/fechada. Do sábado passado até o próximo, contra o Vasco, serão cinco transmissões a nosso favor. E, é explícito, que é mais fácil encontrar algo assim. Se a regra for aplicada no geral, acho ótimo, mas até exagerado. Se quer implantar, tem que ter alguém que se comprometa a rever e analisar tudo. Ou seremos prejudicados. Nesse caso, irá ajudar, até porque, a repercussão foi alta. Contudo, defendo que esse fato seja igual para todos os clubes."

MKRdezign

{facebook#https://www.facebook.com/oficialsouflamengo} {twitter#https://www.twitter.com/SiteFlaHoje} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/+FlamengoHoje} {youtube#https://www.youtube.com/create_channel}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget